Carta Pastoral: Eleições 2018

O olhar de Jesus sobre a realidade

Contam as Escrituras que quando Jesus se aproximava de Jerusalém e viu a cidade, chorou. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas aqueles que te foram enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus filhos como uma galinha reúne seus pintinhos debaixo das asas, mas não quiseste! Se tu compreendesses o que te pode trazer a paz! Agora, está escondido aos teus olhos!”

Podemos atualizar esta passagem: se o Mestre se aproximasse de nossa cidade – qualquer cidade do nosso Brasil! – certamente choraria. E choraria, porque também nós ainda não compreendemos Aquele que nos trouxe a Paz.
Olhamos a realidade, mas não a vemos em profundidade, porque nos falta o olhar de Jesus. Aquele olhar puro, desarmado e despido de interesses pessoais, mas pleno de desejos de Justiça e de Fraternidade.

O caminho para nossa conversão, Ele mesmo – o Mestre – nos indicou: é só segui-lo!

Foi o que aconteceu com Levi, que chamado por Jesus, logo O seguiu e se tornou o apóstolo-evangelista Mateus, que todos conhecemos. Até então, Levi deixava que a vida o levasse docemente, exercendo a função de cobrador dos impostos de seu povo para o Império Romano. E se enriquecia com o dinheiro que coletava. Chamado por Jesus, encheu-se de coragem e trocou seu conforto acomodado pela Paz do Cristo, a Alegria verdadeira.

Cada um de nós, hoje, tem seu lugar e função na sociedade. E, cada um ao seu jeito, nós a vamos exercendo, tentando cumprir nossa missão.

Vivemos um momento extremamente importante: aproximam-se as eleições. Elas fazem parte da nossa cidadania e delas devemos participar, quer como eleitores, ou como candidatos. Boa oportunidade para não permitirmos deixar que ‘a vida nos leve’, mas para nos tornarmos atores dos acontecimentos, transformando-os a partir do olhar de Jesus sobre eles. A grande tentação é pensar que nossa parte é muito pequena, quase insignificante. Não deixemos que a desesperança tome conta de nós. Assumamos a porção que nos toca, por pequena que aparentemente seja, porque ela traz em si a força da União e da Esperança.

Olhemos a realidade destituídos de interesses pessoais, mas tomados pela certeza de que estamos participando da história – a História do Reino de Deus que se encontra dentro de nós – e para isto é essencial olharmos o mundo com o olhar de Jesus.
Desejo que a Luz do Espírito Santo nos ilumine e que nossas atitudes existenciais sejam sempre sinais e afirmação da nossa Fé.

A Bênção do Pai Misericordioso cubra nossa caminhada de volta ao Lar Paterno.

+ Aloísio Vitral
Bispo de Sete Lagoas

Sete Lagoas, 29 de março de 2018

Agenda Diocesana

Nenhum evento encontrado!