Catequese Diocesana em tempos de pandemia

A Pastoral Catequética continua com a proposta de formação com os coordenadores paroquiais de catequese da Diocese de Sete Lagoas. A formação teve início no dia 14 de março, com um encontro presencial, no Centro Pastoral do Carmo e contou com a participação de 66 dos 74 inscritos para o curso. O primeiro tema foi sobre “O anúncio de Jesus Cristo na Catequese e contou com a assessoria de Lucimara Trevizan, coordenadora da Comissão Bíblico-Catequética do Regional Leste II e de Dom Aloísio Vitral.

Assim que iniciamos o isolamento social e consequentemente a paralisação das atividades catequéticas presenciais, continuamos com a formação via webconferências. O segundo encontro para formação com coordenadores paroquiais de catequese, agendado para o dia 18 de abril, das 16h às 18h, aconteceu via live (transmissão pelo facebook) com a participação de Lucimara Trevizan.

Além das catequistas de nossa diocese, participaram também catequistas das dioceses de Passos, Colatina, Guaxupé, Poços de Caldas, Bom Despacho, Janaúba, dentre outras.

A transmissão aconteceu em torno de uma hora aproximadamente e contou com o envio de perguntas do público participante para serem respondidas pela professora. Tivemos até 212 pessoas assistindo a live.

O tema abordado por Lucimara foi sobre “Iniciação e a inspiração catecumenal”.  A professora falou sobre os tempos do catecumenato (que pode ser intensificado com os adultos) e sobre as características de uma catequese com inspiração catecumenal:

– é marcada pela passagem de uma catequese sacramentalizadora para uma catequese evangelizadora que envolve não só os catequizandos como a família e a comunidade eclesial;

– as duas colunas de sustentação da inspiração catecumenal são a catequese querigmática e a liturgia;

– o foco no anúncio de Jesus Cristo e a reaproximação (casamento) da catequese e liturgia; através da catequese se descobre o sentido daquilo que é celebrado; a fonte é a Palavra de Deus; o catecismo serve à Palavra de Deus;

– unidade entre os três sacramentos: batismo, crisma, eucaristia;

– catequese mais enxuta, focada no anúncio de Jesus Cristo – levar o catequizando a conhecer Jesus Cristo; Ele é o centro da catequese; leva em conta a realidade do catequizando e sua idade;

– formação de catequistas iniciantes: os catequistas também precisam passar por um processo de iniciação à fé cristã, apaixonar-se por Jesus para assim poder ser uma testemunho dessa experiência de amor e mergulho no mistério; a formação ajuda o catequista no seu processo de adesão à Jesus Cristo;

– a comunidade como grande iniciadora, como parte integrante da catequese; dentro da comunidade espaço para se vivenciar uma experiência comunitária;

– propor o estilo iniciático a partir da idade do catequizqando, adequando a mensagem à uma linguagem que seja acessível para ele; Como falar de Jesus com crianças? Saber o que ela conhece, ama, vive.

– catequese que educa para o diálogo respeitoso e que considera as  diferenças como uma riqueza para o crescimento pessoal, comunitário, social; não é possível amar Jesus e não ser fraterno;

– catequese não deligada dos compromissos sociais: propor pequenas ações como gestos concretos a serem realizados pelos catequizandos;

– catequese para pequenos grupos com acompanhamento personalizado dos catequizandos; é uma catequese que conhece seus catequizandos, cria laços de amizade com os eles;

– catequese e família: Pensar em encontros de formação com a família – com temas específicos –  ao longo do processo educativo da fé de seus filhos; isso pode ser assumido pela pastoral da família ou outros catequistas. Propor atividades aos catequizandos que envolva a família na dinâmica das respostas.

O terceiro encontro tratou do tema “O caminho da iniciação cristã com crianças, jovens e adultos”. A participação neste 3º Encontro de formação, foi restrita aos coordenadores inscritos para o curso. Este encontro foi transmitido via Webconferência  pela Plataforma BigBlueBotton (Centro Loyola – BH).

Os inscritos foram divididos em dois grupos: um pela manhã de 9h00 às 11h00 e outro à tarde de 14h00 às 16h00. Os inscritos das foranias: N. Sra de Abadia, Santo Antônio, Senhor Bom Jesus e Santíssimo Sacramento ficaram na parte da manhã e os inscritos da forania de Sant’Ana – Sete Lagoas – à tarde.

Alguns catequistas tiveram dificuldade para acessar a plataforma por causa da internet em casa. Á tarde tivemos o envolvimento de 37 catequistas; de manhã 20.

A professora fez uma breve memória do conteúdo tratado no encontro anterior sobre as características da catequese de iniciação cristã: querigmática, fundamentada na Palavra, mistagógica, em estreita ligação com a liturgia, leva em consideração a idade do catequizando; ligada à família e inserida na comunidade. Uma catequese mais objetiva, afetuosa, focada no anúncio de Jesus Cristo, que proporciona aos catequizandos fazer uma experiência do mistério de Amor de Deus em suas vidas e a estreitar laços de solidariedade com os outros, colaborando na construção de um mundo melhor.

Depois, destacou que o explanaria sobre “Como se dá o desenvolvimento da fé na criança, adolescentes, jovens e adultos”. Como se dá nessas fases da vida a experiência de Deus e o que a catequese pode auxiliá-los para aprimorarem o seu olhar sobre si mesmo e sobre Deus.

Lucimara falou sobre as transformações que o conteúdo da catequese recebeu, retomando o caminho iniciático da fé, considerando a maneira como a criança, o jovem e o adulto experimentam Deus e como a catequese deve agir em cada etapa. Em seguida, apresentou o itinerário formativo da educação da fé das crianças, adolescentes e jovens a partir das características que marcam cada uma das fases. Enfatizou sobre a importância de apresentar aos catequizandos o Deus de Jesus Cristo: misericordioso para com todos, amoroso e apaixonado por cada um de nós, que nos concede a vida como Dom para sermos felizes e proporcionar a felicidades aos outros que nos são próximos e necessitados. Frisou que o pecado é não amar, pois Deus é Amor.

Reforçou que a catequese precisa repensar o itinerário educativo da fé, principalmente, na faixa etária dos 9 aos 15 anos. Essas idades, de acordo com o Diretório Geral de Roma e o Diretório Nacional de Catequese, são propícias para um trabalho mais sistemático da educação da fé dos catequizandos. Aos 9 anos o catequizando participa da iniciação eucarística, cujo tempo de envolvimento e preparação das crianças e adolescentes estende-se até dois anos. Porém, nada impede que as paróquias que disponibilizam um maior número de catequistas, atender aos menores de 9 anos. Importante dar prosseguimento com catequistas preparados para a catequese de perseverança e também da crisma – tanto de jovens, quanto de adultos.

No quarto encontro, realizado no dia 6 de junho, também via webconferência, a professora Lucimara Trevizan continuou com o tema “O Caminho da iniciação cristã com crianças, jovens e adultos” indicando os conteúdos a serem  trabalhados na catequese para as crianças de 7 a 8 anos e para as crianças da Catequese Eucarística, a partir dos 9 anos. Também falou do conteúdo específico para a catequese com adolescentes e para a crisma com jovens. Apresentou a indicação de manuais, já revisados e de acordo com as orientações dos documentos da Igreja, para uma catequese de inspiração catecumenal. Tivemos a participação de 50 catequistas coordenadores distribuídos em duas turmas: pela manhã de 9h às 11h e à tarde das 14h às 16h.

Os próximos encontros on-line ficaram agendados para os dias 27 de junho e 11 de julho e serão transmitidos pela própria plataforma.

 

Selma da Silva Cardoso Araújo

Pela Equipe de Coordenação Diocesana de Catequese

Agenda Diocesana

Nenhum evento encontrado!