Coleta para Terra Santa: levemos o coração solidário da Igreja

Muitos peregrinos permanecem longe de Jerusalém, enquanto “os habitantes da Terra Santa continuam sofrendo e morrendo”. O cardeal Claudio Gugerotti, prefeito do Dicastério para as Igrejas Orientais, lança seu apelo a todos os fiéis para que respondam ao pedido da Coleta Pontifícia para a Terra Santa também na Sexta-feira Santa deste ano, e para que os habitantes, aos quais nunca faltou a “proximidade” do Papa Francisco, possam sentir “o coração solidário da Igreja”. A esperança está na generosidade dos fiéis, escreveu o cardeal na mensagem, convidando os católicos a apoiarem o “trabalho generoso dos franciscanos da Custódia da Terra Santa” e das Igrejas Orientais que preservam os “lugares santos que viram Jesus”, onde estão os cristãos da Terra Santa, “ainda vivos e trabalhando, apesar de inúmeras tragédias e dificuldades, muitas vezes causadas pelo egoísmo dos grandes da terra”.

O grito de socorro do Irã, da Síria, do Líbano e de outros países

Em todo o mundo ressoa o estrondo das armas mortais, não há trégua à vista, e muitos cristãos na Terra Santa “não podem mais suportar e estão abandonando os lugares onde seus pais e mães deram testemunho do Evangelho”. O grito de socorro, escreve Gugerotti, vem do Iraque, da Síria, do Líbano e de “muitas outras terras”, e o prefeito pede que essa súplica não passe despercebida, para que o Papa possa “sustentar as Igrejas locais para que encontrem novos caminhos, oportunidades de moradia, de trabalho, de escolaridade e de formação profissional”, porque se os cristãos forem embora e “se em Jerusalém e na Palestina deixarem seus pequenos negócios destinados aos peregrinos que não vão mais lá, o Oriente perderá parte de sua alma talvez para sempre”.

Mais de seis milhões de euros arrecadados

A Coleta para a Terra Santa, graças ao trabalho da Custódia franciscana, é “a principal fonte de sustento das atividades que se desenvolvem em torno dos Lugares Santos e o instrumento que a Igreja oferece para apoiar as comunidades eclesiais do Oriente Médio”. As atividades de solidariedade realizadas graças à Coleta vão desde a manutenção das estruturas pastorais até as educacionais, assistenciais, sanitárias e sociais, nos territórios de Jerusalém, Palestina, Israel, Jordânia, Chipre, Síria, Líbano, Egito, Etiópia, Eritreia, Turquia, Irã e Iraque.

Projetos em Gaza ou na Cisjordânia

Entre as emergências que tiveram de ser atendidas estão as consequências do terremoto de 6 de fevereiro do ano passado na Turquia e na Síria. Mais de 7.000.000 de pessoas estão se beneficiando do projeto, que exigiu um orçamento de um milhão de dólares, dos quais 600.000 foram transferidos pelo Dicastério até o momento. “A eclosão da guerra em Gaza, após os acontecimentos de 7 de outubro passado”, diz o comunicado, “paralisou a Terra Santa. A falta de peregrinos e turistas colocou milhares de famílias em dificuldade”, por isso o Dicastério “está acompanhando o andamento da situação, demonstrando sua proximidade através da Delegação Apostólica em Jerusalém, do Patriarcado Latino e da Custódia da Terra Santa”. Portanto, o Papa Francisco pretende “implementar um projeto com fins humanitários em Gaza ou na Cisjordânia que possa ajudar a população a retomar uma vida mais digna e que possa criar oportunidades de trabalho, uma vez terminada a guerra. Esse projeto poderia ser realizado com as ofertas dos fiéis de todo o mundo que participam da Coleta para a Terra Santa”.

Coleta para Terra Santa – Dia 29/03/2024

A Coleta para os Lugares Santos é uma forma de colocarmos em prática a caridade, pedida para que todos os fiéis realizassem durante o período quaresmal. A Igreja é caridosa. O cerne da Igreja é a caridade. Por isso sempre olha com carinho para aqueles que mais necessitam e o povo, sobretudo da Terra Santa, necessita de ajuda. Com a ajuda de toda a comunidade de fiéis, a Igreja conseguirá manter a evangelização na Terra Santa e nos locais de missão.”

“A Igreja Católica, que é universal, conta com a ajuda dos fiéis nos quatro cantos da terra. Ela está presente no mundo inteiro. Sejamos generosos na coleta da Sexta-feira Santa, pensando sobretudo que estaremos exercendo a nossa caridade quaresmal. Aquele dinheiro que estaremos doando será destinado para manter a missão da Igreja, principalmente na Terra Santa, onde nasceu a nossa fé. ” (Cardeal Orani João Tempesta)

Vamos exercer a CARIDADE!

Fonte: Vatican News

Agenda Diocesana

Nenhum evento encontrado!