Conversão de São Paulo Apóstolo

Celebramos, no dia 25 de janeiro, a festa litúrgica da conversão de São Paulo Apóstolo, um dos maiores propagadores do evangelho de Jesus no Novo Testamento. Paulo evangelizava os gentios e viajou bastante em missão e, desta forma, converteu muitos ao cristianismo. Paulo é um dos pilares da Igreja Católica junto com Pedro.

Paulo é um apóstolo contemporâneo, ou seja, se converte mais tarde ao cristianismo, tanto é, que ele dizia que nem merecia ser chamado apóstolo. Mas devido ao seu trabalho de evangelização e aos seus ensinamentos é apóstolo, mais tardio do que os outros, mas deixou uma história de vida belíssima para todos nós.

Por isso, que no dia 25 de janeiro celebramos a sua conversão, pois Paulo vivia a religião judaica, era conhecido como Saulo de Tarso, e ele antes da conversão perseguia os cristãos. Impedia que eles vivessem a fé publicamente. Inclusive, Santo Estevão morre apedrejado e cai aos pés de Saulo.

Ao se converter, Paulo muda de postura, de perseguidor, passa a ser seguidor de Cristo e de sua Igreja. Neste dia 25 de janeiro, celebramos a conversão do apóstolo Paulo. Que Paulo seja um exemplo de conversão para todos aqueles que se encontram afastados da Igreja ou aqueles que não reconhecem Jesus como nosso salvador e Filho de Deus. Que o Espírito Santo possa transformar a vida dessas pessoas e possam encontrar o caminho da salvação.

Paulo era filho de uma família judaica da tribo de Benjamim, que gozavam de privilégios da cidadania romana. Paulo. Saulo vivenciou a tradição de uma família judaica e cumpria à risca os preceitos da religião judaica. Frequentou a escola da Sinagoga, e como era o costume judeu, antigamente, ele aprendeu um ofício e se tornou fabricante de tendas.

Ainda adolescente, foi enviado a Jerusalém para se aprofundar na religião judaica e conhecer mais da cultura hebraica. Em Jerusalém, estudou no templo, que tinha sido reedificado e embelezado por Herodes Agripa, o governador da Palestina. Saulo era membro da seita dos fariseus, ou seja, vivia à risca todos os preceitos da religião. Foi educado como discípulo de Gamaliel, um rabino influente e de renome.

Além da Torah, Saulo estudou a lei oral, um conjunto de tradições que regulava todas as atividades da vida cotidiana. Saulo se preparava para ser um rabino na mais ortodoxa das seitas judaicas. No fim dos estudos, retorna para Tarso. Alterna os trabalhos na sinagoga e a fabricação de tenda junto ao pai.

Saulo chega a Jerusalém no ano 29 d.C., os discípulos de Jesus já eram mais ou menos cinco mil. Tornou-se perseguidor das primeiras comunidades cristãs e participou do apedrejamento do apóstolo Estevão.

A conversão de Saulo se dá no caminho para Damasco. Ele teve a visão de uma luz muito forte que praticamente o cegou e ao mesmo tempo ouve a voz de Jesus que o indaga sobre as perseguições. Paulo permanece cego por três dias e se entrega às orações.

A mando de Jesus, Ananias vai ao encontro de Saulo, prepara o seu batismo, põe a mão em sua cabeça e Saulo recobre a visão. Impressionado com tudo o que aconteceu, ele é batizado, recebe o nome de Paulo e converte-se ao cristiano.

Paulo aceita Jesus Cristo em sua vida como Messias e Salvador. Isso ocorrerá com quem Paulo vai evangelizar daí para a frente. Primeiramente, para colocar os pensamentos no lugar e para rezar, Paulo se retira para Arabia. Depois, realiza diversas expedições missionárias pregando o evangelho de Jesus Cristo. Paulo é autor de 13 epístolas do Novo Testamento.

No ano de 44 d.C., após pregar três anos em Tarso, segue para Antioquia, capital da Síria, então terceira cidade do Império, logo após segue para Roma e Alexandria. Nessa cidade, tem a missão de evangelizar os gentios, ou seja, pagãos que convertem ao cristianismo. Foi nessa cidade que os discípulos, pela primeira vez, foram chamados cristãos.

Entre 49 e 53, Paulo realiza sua segunda viagem missionária. Entre outras cidades, vai a Macedônia, Acaia, Filipos, Atenas e Corinto. Entre 50 e 52, permanece em Corinto durante 18 meses e funda uma comunidade cristã formada por pessoas da camada mais modesta da população. A primeira Carta aos Coríntios foi escrita em Éfeso, provavelmente em 56, com o objetivo de restabelecer a unidade, advertindo que o único líder era Cristo, ou seja, que todos os trabalhos devem ser voltados para ele.

Celebremos com alegria a festa da conversão de São Paulo Apóstolo e peçamos a Deus que possamos ser fiéis a nossa missão de cristãos, de anunciar a todos a Palavra da Salvação. Que espelhemos no apóstolo dos gentios e que possamos atrair muitas pessoas a Cristo. Que possamos levar a Palavra de Deus a muitas pessoas. Amém.

 

Cardeal Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

Agenda Diocesana

Nenhum evento encontrado!